enkontra.com
Fechar busca

Curitiba e Região

FIM DA PARALISAÇÃO

Após greve de um dia, metalúrgicos da Renault conquistam acordo salarial

Primeira parcela de R$ 19,3 mil será paga já no mês de maio. Impacto na economia pode ser de R$ 149 milhões

  • Por Redação
Foto: Divulgação.

Os metalúrgicos da Renault, em São José dos Pinhais, aprovaram nesta quinta-feira (4) a proposta do acordo salarial de 2017 negociado pelo Sindicato dos Metalúrgicos da Grande Curitiba (SMC) com a montadora. Com isso a greve iniciada ontem foi encerrada com os trabalhadores já retornando ao expediente.

A proposta aprovada na assembleia liderada pelo SMC consiste em uma Participação nos Lucros e Resultados (PLR) no valor de R$ 24.860,00 para 100% das metas. A primeira parcela de R$ 19.300,00 será paga até o final deste mês. A segunda parcela será paga em fevereiro de 2018.  Além da PLR, o acordo ainda determina o  aumento nos salários e no vale-mercado, com o reajuste baseado na reposição da inflação (INPC), a ser realizado no mês de setembro, data-base dos metalúrgicos das montadoras.

Só a  PLR poderá injetar na economia do estado cerca de R$ 149 milhões, considerando o atingimento das metas (R$ 24.860,00) multiplicado pelo número de trabalhadores (6 mil).

Seguindo o presidente do Sindicato, Sérgio Butka, além do impacto na economia o acordo conquistado após a mobilização serve também de resposta às reformas que o governo Governo Federal tem tentado implementar no país.  “Este acordo deixa uma mensagem a todos os brasileiros. Graças à coragem e  à  greve de  24 horas, os metalúrgicos da Renault  conseguiram garantir seus direitos e sua dignidade. Se todo cidadão brasileiro seguisse este exemplo, hoje o governo não estaria querendo impor reformas  que prejudicam a maioria da população para manter os privilégios de uma minoria”, resumiu Butka.

Ficou acordado também entre Sindicato e empresa que até 30 de agosto serão discutidos as propostas para 2018/19.

 A fábrica da Renault emprega cerca de 6,1 mil trabalhadores, sendo 4 mil  do chão de fábrica. Ela produz os modelos Logan, Sandero, Sandero Stepway, Duster, Duster Oroch, Captour, Master. Além do mercado interno a montadora atende Argentina e México.

Siga a Tribuna do Paraná
e acompanhe mais novidades

Deixe um comentário

avatar
300

39 Comentários em "Após greve de um dia, metalúrgicos da Renault conquistam acordo salarial"


Hans
Hans
5 meses 11 dias atrás

Como é difícil empreender no Brasil, uma empresa estrangeira aposta seus investimentos no Brasil, mesmo com altíssima carga tributária e burocracia gerando milhares de emprego (para quem outrora estava desempregado). Agora com alta demanda o sindicato consegue essa “vitória” ….

Edi Rubro Negro
Edi Rubro Negro
11 meses 17 dias atrás

Outro mal, é que não estimulam os estudos dos empregados, e em caso de demissão, dificilmente se recolocarão em mesmo nível financeiro, muita concorrência pra nível médio . Estas multinacionais formam dependentes, pois fora delas, a realidade é bem diferente pra quem não tem estudos e preparo.

Edi Rubro Negro
Edi Rubro Negro
11 meses 17 dias atrás

Uma boa PLR, boa conquista pra categoria. Porém, causa uma dependência absurda do emprego, pois prevalece a máxima “se não quer tem 100 lá fora querendo o seu lugar” e acaba gerando espaço para muitos abusos, empregados se submetem a condições desgastantes para não perder o trabalho.

jonas sobrinho
jonas sobrinho
11 meses 17 dias atrás

caro presid do sindicato! comungo do que disse, se TODOS os sindicatos fossem sérios;
infelizmente, dos 15mil sindicatos no país, 1% talvez trabalhe em prol da categoria;
os demais, todos bandidos, quadrilheiros e caixas pretas da CUT e PT;

o meu paraná é alvinegro
o meu paraná é alvinegro
11 meses 17 dias atrás

isso ai fiquem fazendo greves,a empresa devia mandar esses embora e dar vaga pra quem esta desempregado

wpDiscuz

Últimas Notícias

Mais comentadas