Fechar busca

Brasil

'Vamos juntas 99'

Movimento feminista faz parceria com taxistas contra assédio sexual

  • Por Estadão Conteúdo

O movimento feminista Vamos Juntas firmou parceria com a 99 (antiga 99 Taxi) para promover, entre os motoristas, o conhecimento sobre o que é assédio sexual e o que fazer caso ele ou ela presencie um durante uma corrida. Os condutores estão sendo treinados por Babi Souza, a própria fundadora do Vamos Juntas. Eles criaram o “Vamos Juntas de 99”.

Um caminho sem volta

Flavia Barros, diretora de marketing da 99, avalia que aplicativos para chamar taxistas tradicionais e motoristas de carros particulares (99 POP, Cabify e Uber) vieram para ficar e já são peças-chave na mobilidade urbana. “Nesse sentido, é importante trazermos conexões com a vida real das pessoas, que mais cedo ou mais tarde serão nossos passageiros”, disse a diretora em entrevista ao Estadão Conteúdo.

Assista ao vídeo:

A parceria surgiu em março de 2017, em meio a ascendência do tema assédio, cada vez mais recorrente. Enquanto o Vamos Juntas incentiva que mulheres se acompanhem entre os destinos para se proteger de assédio e violência, a 99 se consolidou como uma das plataformas de transporte no Brasil. Na essência, os dois tangenciam o assunto mobilidade e o direito de ir e vir com segurança.

O conteúdo

Os motoristas credenciados no aplicativo da 99 passam por workshops em que a equipe do Vamos Juntas dá orientações teóricas e práticas sobre o que fazer em situações de assédio. Deve ir ou não à delegacia enquanto os passageiros estão no carro? Deve interferir ou não? O que fazer? Como identificar se é ou não uma situação de assédio? Quais são os exemplos mais comuns da violência?

Até agora foram treinados 300 motoristas – de uma frota de 40 mil, sendo 30 mil taxistas e 10 mil condutores na modalidade 99 POP. Por enquanto os workshops acontecem só em São Paulo. Segundo Flavia, o desafio é engajar mais pessoas na luta contra o assédio e conseguir que mais mulheres assumam o posto de motorista. “Por que há menos motoristas mulheres? É uma questão cultural que aos poucos está mudando”. Flavia conta que em uma pesquisa realizada com 36 mil usuários, 70% das passageiras gostariam de ser conduzidas por uma mulher.

Monitoramento

 Os motoristas já treinados terão seus comportamentos monitorados pela própria empresa, que entrará em contato com os passageiros que fizeram viagens com os condutores. O período de monitoramento ainda está sendo estudado pela empresa.

No aplicativo não há diferenças entre motoristas treinados ou não. Alguns condutores já capacitados têm um informativo do Vamos Juntas de 99 no carro. No lateral esquerda do aplicativo, ao selecionar opções o usuário pode escolher se faz questão de que, para determinada viagem, o condutor seja uma mulher. Os usuários receberam um push, informe do aplicativo, no dia 8 de março, Dia Internacional da Mulher.

Por trás do clipe

 Segundo Pipo Calanzas, CEO da agência Newstyle, produtora do vídeo sobre o Vamos Juntas de 99, toda a publicidade da parceria está sendo tocada por mulheres. “Juntamos um grupo de mulheres para desenvolver o projeto. O assunto do assédio atinge os homens, mas, para começar, a lente sobre o tema precisa ser feminina”.

Publicado no dia 13 de abril, o clipe da parceria já tem mais de 2 milhões de vizualizações. O conteúdo é claro: “Precisamos falar com elas e com eles”.

Siga a Tribuna do Paraná
e acompanhe mais novidades

Deixe um comentário

avatar
300

Seja o Primeiro a Comentar!


wpDiscuz

Últimas Notícias

Mais comentadas