enkontra.com
Fechar busca

Publicidade

Litoral

À beira-mar

Obra na calçada de Praia de Leste se arrasta. Foto: Átila Alberti
Luiza Luersen
Escrito por Luiza Luersen

A 20 dias do início do verão, a Tribuna desceu a Serra do Mar para conferir como está a infraestrutura na orla dos três municípios com praia do litoral do Paraná. Afinal, quem pretende relaxar e curtir as férias – ou pelo menos as folgas de Natal e Ano Novo – quer saber se vai dar para caminhar tranquilamente à beira-mar e acessar a faixa de areia ou se, porventura, terá alguma obra em andamento obstruindo a passagem. Consultamos também as prefeituras para saber que tipo de melhorias já foram realizadas nestes trechos para atender os veranistas e se há previsão de mais benfeitorias a curto prazo.

Pontal do Paraná

Quem vai viajar até Pontal do Paraná espera finalmente encontrar a obra da orla do balneário Praia de Leste concluída. Mas a reforma da calçada está atrasada, já que começou em junho de 2016 e deveria terminar três meses depois. O atraso atrapalhou muito a vida de quem passou a temporada de 2016/2017 na cidade, segundo os próprios moradores da região, mas agora parece estar “quase pronta”.

Leia mais: Quanto custa veranear no litoral do Paraná? Procura por hospedagem está grande!

“A gente transita pelo Centro e a vê que estas obras não terminam nunca. Eles estão mexendo no calçadão, mas muita coisa não foi finalizada. É ainda pior nos dias de chuva, onde fica tudo sujo, sem limpeza e parece que a nossa praia está abandonada. Eu caminho com a minha filha e vemos muita dificuldade. Na hora de estacionar o carro também, não está acabado e fica complicado. Chove e ainda alaga. Fica cheio de poças”, relata a moradora Marilene Gomes, 46 anos.

A obra não é muito extensa, abrange somente uma pequena parte da orla, mas teve um histórico de novas licitações e muito atraso, de acordo com informações encontradas no edital disponível no site da prefeitura. Segundo o documento, a primeira licitação aconteceu em maio do ano passado e, após a escolha da empresa, em junho de 2016, a obra deveria ter sido entregue três meses depois, mas não aconteceu porque “a contratada não cumpriu o contrato”, de acordo com uma nota divulgada pela gestão anterior da prefeitura.

Ao invés da inauguração, houve uma nova licitação, de quase R$ 400 mil, e outra empresa foi escolhida em dezembro do mesmo ano. Somente em janeiro de 2017, a obra foi retomada pela nova gestão. Até agora, quase um ano depois, a construção ainda não foi finalizada. Somando o atraso da empresa anterior com essa, são 14 meses de espera “extra”. Além disso, em outubro deste ano houve uma terceira licitação para “implantação de mobiliário urbano”, que custou R$ 195 mil.

A Tribuna procurou a Prefeitura de Pontal do Paraná desde quinta-feira passada (23/11), mas não houve resposta sobre a situação da obra na orla. Os questionamentos feitos pela reportagem, a respeito da data de entrega e extensão das obras, não constam do edital.

Em Matinhos, foram feitas obras emergenciais após ressaca de 2016. Foto: Átila Alberti

Em Matinhos, foram feitas obras emergenciais após ressaca de 2016. Foto: Átila Alberti

Matinhos

Já em Matinhos, a situação é um pouco diferente. A cidade passou por uma forte ressaca no ano passado e por conta da destruição que causou, o governo do Estado disponibilizou na época uma verba para apoio imediato. O valor de R$ 803 mil foi utilizado para a reestruturação de quatro quilômetros de orla parcialmente destruídos, entre os balneários Praia Brava e Praia Grande.

Mas o problema foi solucionado de forma “provisória” e em breve uma obra de paisagismo deve ser feita. De acordo com a prefeitura do município, a previsão de início é para março de 2018.
Além dessa obra, a revitalização da orla do Balneário Caiobá foi entregue no ano passado e um trecho de três quilômetros, entre a Avenida Augusto Blitzkow e o canal da Avenida Paraná, foi reformado com o investimento de R$ 7,2 milhões.

A intervenção foi financiada pelo Sistema de Financiamento aos Municípios (SFM), gerenciado pela Fomento Paraná, instituição financeira de desenvolvimento do governo do Estado, em parceria com a Secretaria de Estado do Desenvolvimento Urbano. A avenida também recebeu nova iluminação em LED, novas calçadas, sanitários, pistas para caminhada, ciclovias, pontos de ônibus, faixas de estacionamento para veículos, paisagismo e sinalização.

Guaratuba promete várias melhorias na beira-mar para 2018. Foto: Átila Alberti

Prefeitura de Guaratuba promete várias melhorias na beira-mar para 2018. Foto: Átila Alberti

Guaratuba

Em Guaratuba, também houve uma forte ressaca no ano passado e a reforma foi realizada com verba de R$ 631 mil, repassada pelo governo estadual, assim como em Matinhos. Além disso, a orla da Avenida Atlântica há quase quatros anos está pronta para os turistas. A revitalização, feita em 2014, trouxe melhorias como calçadas feitas com blocos de concreto, drenagem, ciclovia, paisagismo e urbanismo, sinalização de trânsito, construção de rampas de acessibilidade e novo muro para contenção da avenida. A Avenida Brejatuba também foi reformada com recursos do Estado no mesmo ano.

A administração municipal aponta que em 2017 foi feita manutenção da orla, incluindo execução de muro de contenção em gabião (pedras amarradas) na Praia das Caieiras para proteção contra a ação das marés, construção de novas rampas de acessibilidade, pintura das rampas e pintura dos bancos.

A novidade é que em 2018, haverá algumas melhorias, como pintura de banheiros, marcos, chuveiros, pintura dos meios-fios, faixas de pedestres e outras mudanças. Além disso, cinco novas rampas de acessibilidade serão construídas – as três existentes já foram reformadas. As estruturas permitem que qualquer pessoa, principalmente cadeirantes ou pessoas com mobilidade reduzida, possa ter acesso à praia na parte firme da areia. Com essa construção, serão oito rampas da Praia das Pedras até o Morro do Cristo (Brejatuba), facilitando o acesso às praias.

Chuveiros e rampas de acessibilidade deverão ser instalados em Guaratuba. Foto: Átila Alberti

Chuveiros e rampas de acessibilidade deverão ser instalados em Guaratuba. Foto: Átila Alberti

Sobre o autor

Luiza Luersen

Luiza Luersen

Jornalista formada pela Universidade Positivo e pós-graduanda em Mídias Digitais e Jornalismo Esportivo.

Deixe um comentário

avatar

21 Comentários em "À beira-mar"


PARANITO PENTACAMPEÃO
PARANITO PENTACAMPEÃO
7 dias 9 horas atrás
Rapááá…se no país só tem ladrão, imagina nesses kudemundo que são as praias do paraná. Além dos políticos, os que moram por lá, também são ladrão, pois agem impunemente durante a baixa temporada e também na alta, com os preços estratosféricos. Cansei de ser roubado na minha casa que tinha em Ipanema e roubado nos preços nas temporadas. Vendi tudo, mandeu tudo ir SFD e curto minhas férias e folgas em praias paradisíacas, NE, Caribe etc… Não seja + otári0, venda se tem algo lá e use seu $$ pra curtir onde vale mt + a pena, guarde durante o… Leia mais »
Joao
Joao
9 dias 10 horas atrás

Se o parana produzisse energia elétrica talvez os incompententes colocariam iluminação nas praias. Falta mta vergonha na cara.

tkt_681_153174
tkt_681_153174
10 dias 21 horas atrás
É, falta muita coisa pra receber os turistas/Matinhos. Por exemplo, manutenção básica, lombadas sem identificação, chuveiros, banheiros químicos, lixeiras em toda a orla, não só no balneário Caiobá, algumas ruas esburacadas e ai vai, terrenos baldios tomados por mato ou servem de lixeiros, alguns motoristas estacionam seu carro em cima de calçadas (não há fiscalização), comerciantes que fazem das calçadas a extensão do seu comércio, ciclistas que também usam calçadas para deixar suas bikes (não se utilizam do local apropriado) e ai vai. Falta vontade e fiscalização por parte dos órgãos responsáveis. Não adianta querer a visita de turistas, mas… Leia mais »
Cesar
Cesar
11 dias 4 horas atrás

E quando foi que o litoral do Paraná esteve “pronto”? Ninguém nunca fez nada por aquilo lá.
Os catarinenses agradecem.

Nostradamus
Nostradamus
11 dias 5 horas atrás

Acredito que esta matéria está sendo copiada e colada por anos e anos porque todo inicio de temporada é a mesma coisa … nosso litoral sempre foi e sempre será esquecido , mais nessa época lembram mais ai é tarde e no final da temporada param novamente ou seja nunca tem um fim !!!

SONIA WALZ
SONIA WALZ
11 dias 1 hora atrás

CAIOBÁ O LIXO DO LITORAL DO PARANÁ

República do Paraná
República do Paraná
11 dias 5 horas atrás
O nosso litoral é pequeno em extensão, mas, dispõe de muitos atrativos naturais e os mesmos devem ser preservados e cuidados por parte dos órgãos públicos. Pois, nota-se a falta de investimentos mais efetivos nos últimos 15 anos. Em vista disso, é necessário melhorar a infraestrutura urbana das cidades, bem como dos balneários, principalmente, em termos de segurança, dado o crescimento nos últimos anos da violência, decorrente de um crescimento populacional através da especulação imobiliária, bem como da proliferação de invasões de terrenos. Então, é fundamental que o governo estado concretize os investimentos anunciados alguns anos e também melhore a… Leia mais »
Elcio
Elcio
11 dias 7 horas atrás

Avenida Atlêntica ?

SONIA WALZ
SONIA WALZ
11 dias 7 horas atrás

SRS. DEEM VALOR AO SEU DINHEIRO, CAIOBÁ É O LIXO DO LITORAL DO PARANÁ, FICAMOS NO HOTEL SESC CAIOBA (HOTEM 1000) ENTRETANTO A NOITE E TAR, O CALÇADÃO É ANTRO DE BANDIDOS, DROGAS, ASSALTOS NA CARAQ DURA, NÃO TEM POLICIAMENTO, E TEM MAIS PREÇOS ROUBOS, NADA FUNCIONA, CALÇADA TOTALMETNE QUEBRADA, BARES IMUNDOS, LIXO, LIXO, LIXO

Ale
Ale
11 dias 7 horas atrás

Sabe quando isto irá mudar?

Quando os proprietários de imóveis no Litoral, mudarem seus títulos de eleitor para a cidade onde tem imóvel.

Ai sim, os caras vão começar a se mexer.

Está aqui uma sugestão.

SONIA WALZ
SONIA WALZ
11 dias 7 horas atrás

SRS. DEEM VALOR AO SEU DINHEIRO, CAIOBÁ É O LIXO DO LITORAL DO PARANÁ, FICAMOS NO HOTEL SESC CAIOBA (HOTEM 1000) ENTRETANTO A NOITE E TAR, O CALÇADÃO É ANTRO DE BANDIDOS, DROGAS, ASSALTOS NA CARAQ DURA, NÃO TEM POLICIAMENTO, E TEM MAIS PREÇOS ROUBOS, NADA FUNCIONA, CALÇADA TOTALMETNE QUEBRADA, BARES IMUNDOS, LIXO, LIXO, LIXO

jonas sobrinho
jonas sobrinho
11 dias 9 horas atrás

matinhos foi dominada por decadas por uma corja! com interesses somente particulares, apoiada por uma camara de vereadores, descompromissada e incompetente! resultado: nao mudou em nada, significativo, nos ultimos 30-40a;

por estas e outras q o as praias do litoral catarinense, alem de nos darem um banho em qualidade de aguas, tbm em infraestrutura;

SONIA WALZ
SONIA WALZ
11 dias 6 horas atrás

SRS. DEEM VALOR AO SEU DINHEIRO, CAIOBÁ É O LIXO DO LITORAL DO PARANÁ, FICAMOS NO HOTEL SESC CAIOBA (HOTEM 1000) ENTRETANTO A NOITE E TAR, O CALÇADÃO É ANTRO DE BANDIDOS, DROGAS, ASSALTOS NA CARAQ DURA, NÃO TEM POLICIAMENTO, E TEM MAIS PREÇOS ROUBOS, NADA FUNCIONA, CALÇADA TOTALMETNE QUEBRADA, BARES IMUNDOS, LIXO, LIXO, LIXO

Ale
Ale
11 dias 7 horas atrás

Sabe quando isto irá mudar?

Quando os proprietários de imóveis no Litoral, mudarem seus títulos de eleitor para a cidade onde tem imóvel.

Ai sim, os caras vão começar a se mexer.

Está aqui uma sugestão.

SONIA WALZ
SONIA WALZ
11 dias 6 horas atrás

SRS. DEEM VALOR AO SEU DINHEIRO, CAIOBÁ É O LIXO DO LITORAL DO PARANÁ, FICAMOS NO HOTEL SESC CAIOBA (HOTEM 1000) ENTRETANTO A NOITE E TAR, O CALÇADÃO É ANTRO DE BANDIDOS, DROGAS, ASSALTOS NA CARAQ DURA, NÃO TEM POLICIAMENTO, E TEM MAIS PREÇOS ROUBOS, NADA FUNCIONA, CALÇADA TOTALMETNE QUEBRADA, BARES IMUNDOS, LIXO, LIXO, LIXO

wpDiscuz
(41) 9683-9504