enkontra.com
Fechar busca

Publicidade

Centro

Furtos em série

Foto: Átila Alberti
Luiza Luersen
Escrito por Luiza Luersen

A rotina não está fácil para quem é comerciante na Rua Doutor Faivre, no Centro de Curitiba. Alguns comércios, somente neste ano, foram furtados três vezes em menos de dez dias. É o caso do Rogério Casagrande, 50 anos, proprietário de uma loja especializada em carros. Ele diz que nunca viveu uma época como essa.
“Eu vou pra casa já pensando no que pode acontecer na loja na parte da noite. Só em 2018, eu fui furtado três vezes e é frustrante viver com essa rotina. Eles chegam, arrombam o portão, a porta e nem alarme monitorado impede a ação dos bandidos”, lamentou.

Neste ano, Rogério foi assaltado no dia 24 e 26 de janeiro, e no dia 2 de fevereiro. Por conta dos crimes, o prejuízo chegou a 40 mil reais. Uma motocicleta, capacetes personalizados e também algumas máquinas, que servem para a pintura de carros, foram levados. Além disso, os trabalhos foram prejudicados por conta dos danos estruturais.

“Em um dia levaram minha motocicleta e um capacete personalizado. Nos outros dias, levaram uma coleção de carrinhos e pistolas de tinta para pintar carros. Isso prejudica o nosso trabalho e estou cansado. Todas as vezes eu fiz boletim de ocorrência e não vejo retorno. Me sinto inseguro e isso é complicado. Aqui no bairro, todos vivem a mesma rotina, temos medo e vivemos tensos”, explicou.

Em suas redes sociais, o comerciante chegou a compartilhar sua indignação e dezenas de amigos apoiaram a falta de segurança e inclusive fizeram relatos parecidos. “Toda a nossa região está sofrendo diariamente com assaltos, uma vergonha o que está acontecendo”, desabafou na postagem.

Estragos

Além dos produtos furtados, empresários tem prejuízo com estragos. Foto: Átila Alberti

Além dos produtos furtados, empresários tem prejuízo com estragos. Foto: Átila Alberti

Além dos episódios registrados em janeiro, outros dois furtos aconteceram em outubro de 2017. Em um deles o comerciante pegou o bandido no flagra. O homem estava dentro da loja, logo depois de arrombar uma porta. Mas a situação, de fato, se repete para diversos empresários da região. Basta entrar em algumas lojas da rua para notar a falta de segurança e as marcas deixadas pelos bandidos.

“Aqui na loja eles quebraram tudo e até hoje não conseguimos repor todo o material. O pior é que eles, além de levarem objetos de valor, ainda deixam estragos em nossa estrutura. Eu tive que fechar minha loja por um dia por conta dos estragos. Tinha vidro estourado, portas quebradas e marcas de mão nas paredes”, desabafou outra comerciante, que preferiu não ter o nome divulgado.

Em um estacionamento e lavacar da rua a história é a mesma. Do local os bandidos tentaram levar um aparelho para lavagem de veículo, que custa em média R$ 2,5 mil. Agora, a solução do proprietário é acorrentar seus utensílios de trabalho. “Aqui já roubaram lâmpada, ceras pra carro e até meu compressor tentaram levar. O jeito é acorrentar tudo. Vou fazer o que?”, comentou Luiz Azolini, 47 anos.

Na madrugada

Prateleiras desta loja estão praticamente vazias, mas não por queima de estoque e sim pela ação da criminalidade. Foto: Átila Alberti

Prateleiras desta loja estão praticamente vazias, mas não por queima de estoque e sim pela ação da criminalidade. Foto: Átila Alberti

Conforme os relatos dos comerciantes da Rua Doutor Faivre, a maneira como os bandidos agem é bastante semelhante. Eles descrevem que os marginais aproveitam a rua vazia à noite, ou até mesmo os feriados, e entram nos estabelecimentos através de janelas que são quebradas e portas arrombadas. Mauro Luvizotto, 60 anos, que tem uma loja tradicional de móveis e papelaria, relatou à Tribuna qua já registrou três arrombamentos somente neste início de ano.

“Desde o começo de janeiro até agora, nós fomos furtados três vezes. Levaram televisão, bicicleta, aparelhos para limpeza, quebraram os vidros, levaram vários computadores. Eles quebram tudo, acabam vandalizando a loja, e levando tudo o que é possível. Eu notei que, de fato, a maioria dos comerciantes está passando por isso”, informou o proprietário.

Um relatório divulgado pela Secretária de Segurança Pública apontou que em 2017, foram registrados mais de 45 mil furtos em Curitiba. Até agosto passado, somente o bairro Centro havia registrado quase 6 mil casos de furtos e roubos, informou o relatório. O bairro figura no topo da lista dos 15 com mais casos de furtos e roubos na capital paranaense. Em segundo lugar está a Cidade Industrial e em terceiro o Sítio Cercado.

Os comerciantes do Centro sentem esta diferença na pele. “Eu tenho todos os boletins de ocorrência e ainda aguardo uma solução. Não é possível viver assim. Nós pagamos impostos, acordamos cedo e trabalhamos duro. É justo ter suas coisas levadas desta forma?”, comentou o dono de loja, que também pediu para não ter o nome divulgado.

E a segurança?

A Polícia Militar informou que o 12.º Batalhão da PM, unidade responsável pelo policiamento na região, “está atuando diuturnamente com o efetivo e os meios materiais que possui. A unidade informa que quando alguma ilicitude é verificada pelos policiais militares as medidas cabíveis são tomadas”.

Já a presidente do Conselho Comunitário de Segurança (Conseg) da Área Central de Curitiba, Malu Gomes, apenas recomendou que os comerciantes participem de reuniões e façam boletins de ocorrência para que haja maior policiamento nessas áreas.

Sobre o autor

Luiza Luersen

Luiza Luersen

Jornalista formada pela Universidade Positivo e pós-graduanda em Mídias Digitais e Jornalismo Esportivo.

Deixe um comentário

avatar

43 Comentários em "Furtos em série"


Comandante
Comandante
3 meses 8 dias atrás

Se não houvessem viciados em drogas, não haveria traficantes e nem assaltos! Morte aos viciados!

Jorge
Jorge
3 meses 11 dias atrás

O governo e nem a polícia tem culpa é sim os deputados e senadores que deveriam criar leis severas para ladrões e se possível mudar a constituição e prever a pena de morte para reincidentes.

Rafael Gomes
Rafael Gomes
3 meses 10 dias atrás

FORA BETO RICHA!

FSS
FSS
3 meses 13 dias atrás

Volta Requião? Vira o disco velho. Chega dos mesmos. É por isso que esse país não evolui. Precisamos de gente nova com ideias atuais.

fernando
fernando
3 meses 8 dias atrás

Volta Requião uma pinóia, nem Requião, nem Beto canalha Richa, nem outro candidato velho. Chega de mesmice, chega de raposas velhas que ficam mamando na teta e não dão o lugar para ninguém. Chega de reeleição.

Rafael Gomes
Rafael Gomes
3 meses 10 dias atrás

Não vem com esse papinho de colocar gente nova, o teu péssimo candidato Beto Richa, usou esse discurso uns 8 anos atras e veja o que virou o Estado, uma baderna da bandidagem, hoje o comerciante é assaltado diametralmente, FORA BETO RICHA!

Ale
Ale
3 meses 13 dias atrás

Governadorzinho lixo… Os quarteis estão cheios de PM coçando… Coloca os caras nas ruas… Investe em policial a paisana… Não vejo policiamento à noite, que é quando ocorre os arrombamentos… VOLTA REQUIÃO pra colocar ordem neste barraco que está uma zona…

Ale
Ale
3 meses 12 dias atrás

Que chick tão me plagiando…

Willian
Willian
3 meses 13 dias atrás

Governador mentiroso, não voto em quem este canalha apoiar, pagamos nossos impostos e não temos nada de volta, segurança precária, assaltos, medo constante, culpar a polícia é fácil porém a causa de tudo isto tem um nome Governo Incompetente, falastrão, hipócrita e demagogo.O Paraná fez a lição de casa, fez mesmo seu mentiroso, estamos nas mãos dos marginais, quando a policia prende o judiciário solta no outro dia.

Willian
Willian
3 meses 13 dias atrás

E vai ficar pior, os policiais em sua grande maioria estão só cumprindo hora, estão frustrados sem aumento por 2 anos, converso com muito deles e é só reclamação ninguém vai vestir a camisa para defender a sociedade vendo a hipocrisia deste governador, pior governo de todos os tempos, minha loja foi furtada 4 vezes fazer b.o pra que não serve de nada nem chamo mais fico com o prejuizo.

fernando
fernando
3 meses 8 dias atrás

Isso é verdade. Governador mentiroso e hipócrita.

A Gabardo
A Gabardo
3 meses 14 dias atrás

FICA BETO RICHA!

Ale
Ale
3 meses 14 dias atrás

E vai ficar pior…o Prefeito Gordão está querendo acabar com escala 12×36 da Guarda Municipal e ainda impor que o Guarda compre seu uniforme abusurdoooooooo.

Alberto joao
Alberto joao
3 meses 14 dias atrás

Não há quem consiga pagar para trabalharem somente 06(seis)horas por dia e de segunda a sexta-feira.

Ale
Ale
3 meses 12 dias atrás

Sabe de nada…

João
João
3 meses 15 dias atrás

Realmente estamos num fim de mundo. Mas chama a atenção, o fato de um cara que vende carros ter equipamentos para pintura. É pra dar uma “guaribada” nos carros que vende?

EL PODEROSO TORNADO!
EL PODEROSO TORNADO!
3 meses 15 dias atrás

Normal João, ou você não sabia que muitos fazem isto? Um amassadinho, um risco, tudo pode ser consertado numa pequena garagem e o carro fica mais valorizado para revenda!

fernando
fernando
3 meses 8 dias atrás

Concordo contigo. Esse tipo de coisa fica mais fácil para as revendas venderem o carro.

FSS
FSS
3 meses 15 dias atrás

Deixo uma sugestão aos idosos que estão indignados com o lixo de país que deixaram pro futuro: criem grupos radicais para cometer atos que abalem o sistema. Idoso não vai pra cadeia mesmo.

wpDiscuz
(41) 9683-9504